Thursday, April 14, 2005

Lei da Irresponsabilidade Fiscal!

0 comments
Certamente é louvável a atitude do pref. José Serra em terminar com a taxa do lixo (para todos os paulistanos) e a da luz (somente para aqueles sem iluminação pública) aqui na cidade de São Paulo, mas esse fato me leva a uma reflexão sobre a conhecida "Lei da Responsabilidade Fiscal".

Através dessa lei (instituida nos anos FHC, se bem me recordo), não se pode reduzir impostos no país se não se comprovar que vai tirar aquela verba de algum outro lugar. Na prática, ela inibe completamente a redução (que seria mais do que justa em diversos casos) de impostos já que a luta não é simplesmente fazer uma administração mais enxuta (talvez somente mais eficiente), mas também de encampar uma luta com o legislativa da esfera municipal, estadual ou federal de que o dinheiro será recuperado de alguma forma.

Não bastasse uma lei como a discutida acima, o governo federal abre mais a sua boca faminta do controle socialista de propriedades alheis para rever as leis de desapropriação rural. Na prática, o governo está chegando ao nível de que, quando ele quiser, ele pode forçar que uma propriedade seja desapropriada por motivo qualquer justificado pela lei (ou interpretação dela), a custo que será decidido praticamente de modo unilateral. Não se pode, nesse país, comprar uma propriedade e a manter supostamente improdutiva. Isso é absurdo, segundo os nossos socialistas de plantão. A justificativa é que outras pessoas estariam fazendo melhor uso dela. Até aí, não discordo, mas isso não lhes dá qualquer direito de infringir o direito de propriedade de um bem adquirido legalmente. Afinal, tal idéia poderia ser expandida para tudo. Por que não desapropriamos o seu dinheiro, afinal você, mesmo com o seu baixo salário, está gastando em bobagens (a serem eventualmente regulamentas depois da lei) e o governo, como mãe (ou madrasta) de todo, sabe que você - ou melhor, outros - poderiam gastar em algo muito melhor. A isso poderíamos desapropriar os livros, as suas roupas, comida, tudo. Pois é, desapropriar não é só para terras. E quem leu a revista Veja sobre os tropeços do Brasil com relação a educação e cultura bem sabe do que os braços socialistas do governo estão tramando: até controle das universidades privadas. O que será desse país?

Ah, e como não poderia deixar de ser, o Lula perdeu a chance de ficar calado mais uma vez. Comparar a escravidão com pedra no rim (pois só quem tem é que sabe a dor) foi realmente "brilhante". Ainda bem que ele não comentou que o Senegal nem parecia a África!

Friday, April 08, 2005

OSUSP: uma grata surpresa!

0 comments
Ontem tive a felicidade de assistir pela primeira vez a uma apresentação da OSUSP, na Sala São Paulo. Tocaram "As quatro estações" e o concerto em dó maior para oboé e orquestra de Vivaldi e o concerto grosso de Giannini.

Simplesmente fantástica e emocionante, é o resumo dessa apresentação. Os solistas, notadamente, o violinista Daniel Guedes, exibiram enormes virtudes para tocar essas peças barrocas. Claro que todo mundo que ouve música tem o seu palpite de como ficaria melhor, mas confesso que ouvi uma versão mais conservadora d"As quatro estações", porém única. No próprio inverno, achei um pouco rápido, mas foi muito bem tocado que deu maior dramaticidade e tensão à música. Eu não conhecia obras de Giannini e foi fantástico ouvir esse concerto, que é lindo.

A OSUSP, que eu acreditava ser uma orquestra de eventual qualidade não tão boa, surpreendeu-me de maneira muito positiva e conquistou mais um fã! O maestro Carlos Moreno parece se entregar à regência (visão que foi facilitada ao sentar no coro) de maneira intensa. Não deixem de conhecer a OSUSP, se tiverem a oportunidade.

Amanhã eles tocarão a 9a. sinfonia de Beethoven na Sala São Paulo, mas infelizmente os ingressos estão esgotados. Uma pena. Agora vou ficar com o gosto de "quero mais". Para mim é uma grande felicidade ver uma orquestra dessas e espero que faça o merecido sucesso e que as pessoas cada vez mais a conheçam.